Delcídio do Amaral perde o mandato de senador. Sessão do impeachment de Dilma começa nesta quarta

da

O senador Delcídio do Amaral perdeu o mandato após aprovação de 74 senadores em sessão nesta terça-feira, dia 10 de maio. Com a decisão, Delcídio perde o foro privilegiado e ainda fica oito anos inelegível. Delcídio foi acusado de obstrução nas investigações da Operação Lava Jato.

O presidente do Senado, Renan Calheiros, definiu o rito para a votação do relatório que pede o afastamento da presidente Dilma Rousseff por até 180 dias, nesta quarta-feira, dia 11 de maio. A sessão começa às 9 horas e será dividida em três blocos.

Há 65 senadores inscritos para falar em plenário. Cada um terá até 15 minutos para argumentar na tribuna. Antes da votação, ainda vão se manifestar o relator do processo Antônio Anastasia e o advogado-geral da União, José Eduardo Cardozo.

A previsão é de mais de 20 horas de discurso. Ou seja, a votação do processo que pode afastar Dilma Rousseff deve entrar pela madrugada da quinta-feira, dia 12 de maio.

José Eduardo Cardozo garante que a presidente Dilma Rousseff vai continuar lutando para permanecer à frente do País por meio da Justiça. “Vamos denunciar até o fim as irregularidades nesse processo, que não passa de um golpe”, completou o advogado-geral da União.

PRE também vai multar dentro de Fortaleza. E em novembro, com valores mais altos

pre

O convênio firmado entre o Detran e a Prefeitura de Fortaleza permite agora que policiais rodoviários estaduais possam atuar dentro do Município. Sindetran questiona a medida e reforça a necessidade de mais campanhas educativas.
A fiscalização aos motoristas infratores dentro do município de Fortaleza promete ficar ainda mais rigorosa. Além da atuação dos agentes da AMC e da Guarda Municipal, agora policiais rodoviários estaduais também podem aplicar multas dentro da Capital. A determinação partiu de um convênio firmado entre o Governo do Estado e a Prefeitura. Até então, a PRE só poderia atuar em avenidas estadualizadas como são os casos da Senador Carlos Jereissati, conhecida como avenida do Aeroporto, e a Washington Soares. O reforço na fiscalização gera opinioes diferentes entre os motoristas.
Quem também fiz ter estranhado o convênio entre Governo e Prefeitura foi o Sindicato dos Servidores do Detran. A presidente Eliene Uchôa acredita que utilizar policiais rodoviários dentro da cidade mostra apenas a carência no número de agentes de trânsito municipais.
O motorista tem mais é que ficar atento ao aumento na fiscalização. Isto porque a presidente Dilma Roussef sancionou na semana passada o reajuste nos valores das multas de trânsito, principalmente, nas infrações mais comuns.
O valor da multa nos casos mais leves passa de R$ 53,20 para R$ 88,38. Uma elevação de 66 por cento. Nas infrações médias, o aumento será de R$ 85,13 para R$ 130,16. As graves sofrerão reajuste de R$ 127,69 para R$ 195,23. Já as faltas gravíssimas no trânsito passarão de R$ 191,54 para R$ 293,47. Os novos valores entram em vigor a partir de novembro. Para o Sindetran, ao invés de aumentar a fiscalização, deveria se investir em mais campanhas educativas.

Vereadores de Fortaleza se mostram preocupados com afastamento de Dilma

camara municipal(1)

Vereadores de Fortaleza mostram preocupação com as idas e vindas das decisões sobre o impeachment da presidente Dilma Rousseff, em Brasília. Os parlamentares cearenses temem prejuízos para a Capital diante do eventual afastamento da presidente da República.
Primeiro foi a anulação da votação do processo de impeachment da presidente Dilma Rousseff, no último dia 17 de abril, no plenário da Câmara dos Deputados. Depois, o presidente interino da Casa, Waldir Maranhão, voltou atrás e revogou a decisão tomada por ele próprio. O clima de idas e vindas em Brasília sobre o afastamento gera preocupação em todo o País. Em Fortaleza não é diferente. Na Câmara Municipal, os vereadores temem prejuízos para a Capital o eventual afastamento de Dilma da Presidência por até 180 dias, que deve ser apreciado pelo plenário do Senado Federal, nesta quarta-feira, dia 11 de maio.
Na Capital, o prefeito Roberto Cláudio é aliado de Dilma Rousseff. Os opositores ao prefeito na Câmara de Fortaleza preveem dias difíceis para a administração municipal  com a possibilidade de Michel Temer assumir o comando do País.
A cientista política Carla Michele Quaresma avalia que a repercussão negativa da decisão de Waldir Maranhão em tentar anular a votação do impeachment de Dilma colocou o próprio mandato dele em risco. Ela prevê um início de governo complicado para o vice Michel Temer diante do clima de instabilidade política na Câmara dos Deputados.

GOVERNO DO ESTADO LIBERA VERBA PARA EDUCAÇÃO E TENTA REVERTER A PARALISAÇÃO NO SETOR

CAMILOGOVERNADOR

A greve dos professores da rede pública estadual continua, mesmo após a decisão do governador Camilo Santana em liberar mais verba para a educação. Camilo anunciou nesta segunda-feira, dia 9 de maio, a liberação de R$ 32 milhões para a reforma de escolas e R$ 6 milhões e 400 mil para o reforço na merenda escolar, que hoje é bancada pelo Governo Federal.
Outras medidas prometidas pelo governador foram mais R$ 21 milhões e 430 mil para a compra dos notebooks destinados a quem atingiu uma nota mínima no Enem, mais R$ 17 milhões e 500 mil para a aquisição de computadores novos para as escolas, além de acréscimo de 100 horas/aula na carga horária mensal das escolas de ensino regular, Centros de Educação de Jovens e Adultos, Indígenas e Quilombolas e 125 horas/aula nas escolas de Educação Profissional.
Os professores estaduais estão de braços cruzados e ainda ganharam a adesão de alunos que ocupam mais de 10 escolas no Estado, em solidariedade ao movimento dos docentes. A Justiça determinou a ilegalidade do movimento e deu um prazo de 72 horas para que os professores retornem ao trabalho. A decisão ainda será levada pelo Sindicato Apeoc para análise da assembleia da categoria.

⁠⁠⁠Tasso Jereissati descarta interesse de se tornar ministro de Temer

tasso-460x307
O noticiário político das últimas semanas trazia o interesse do vice-presidente da República, Michel Temer, de ter o senador cearense Tasso Jereissati em sua equipe ministerial, caso se confirme o afastamento de Dilma Rousseff da Presidência.
Tasso ocuparia o Ministério do Desenvolvimento, Indústria e Comércio Exterior num eventual governo de Temer. Mas Tasso tratou de desmentir o interesse de assumir qualquer ministério. “Não fui, não sou e nem serei candidato a ministro, meu papel é permanecer no Senado”, afirmou o senador tucano.

SENADO VOTA CASSAÇÃO DE DELCÍDIO NESTA TERÇA-FEIRA. IMPEACHMENT DE DILMA CONTINUA NA PAUTA DE QUARTA

RenanCalheiros
O presidente do Senado, Renan Calheiros, não aceitou a pressão de senadores do PSDB, do DEM e do PMDB para protelar a votação do processo de cassação do senador Delcídio do Amaral e marcou a sessão para esta terça-feira, dia 10 de maio, às 17 horas no plenário da Casa.Renan chegou a ameaçar não colocar em votação o processo de impeachment de Dilma Roussef na quarta-feira, dia 11 de maio. “Não é admissível manter o senador Delcídio em plenário para analisar o afastamento da presidente Dilma. Não há condições morais para isso”, disse Renan Calheiros.
Assim, a votação do relatório que pede o afastamento de Dilma por até 180 dias está mantido para quarta-feira, dia 11 de maio. A análise dos senadores deve acontecer no período da tarde. Isto porque, Renan Calheiros decidiu ignorar o pedido do presidente em exercício da Câmara dos Deputados, Waldir Maranhão, para que o Senado mandasse de volta o processo de cassação da presidente. Maranhão determinou o anulação do processo na Câmara, alegando “vícios” na condução do processo e na votação em plenário realizada no último dia 17 de abril.
Diante da atitude tomada por Renan, o advogado-geral da União, José Eduardo Cardozo, ameaça entrar com recurso no Supremo Tribunal Federal.
Na madrugada desta terça-feira, o presidente da Câmara, Waldir Maranhão, voltou atrás e revogou a decisão de suspender a votação do impeachment no plenário. Um verdadeiro samba do crioulo doido.
Até a hora da votação do relatório no Senado, na quarta-feira, tudo pode acontecer em Brasília, que vive mais uma vez um clima de temperatura máxima.

Comissão de deputados estaduais vai a Pedra Branca conhecer ações vitoriosas de combate ao mosquito Aedes aegypti

aedes-aegypti-450x297
Experiências exitosas devem ser seguidas. E a Frente Parlamentar de Combate ao Mosquito Aedes aegypti estará, nesta terça-feira, dia 10 de maio, no município de Pedra Branca, para conhecer as ações de prevenção.  Pedra Branca não registra um caso de dengue há 14 anos. O trabalho de  combate ao agente transmissor da dengue, zika e chikungunya tem sido exemplo para outros municípios brasileiros.
A Frente Parlamentar é presidida pelo deputado estadual Carlos Matos (PSDB) e tem como relator, Leonardo Pinheiro (PP). Completam a frente, os deputados José Sarto (PDT), Fernanda Pessoa (PR), Agenor Neto (PMDB), Roberto Mesquita (PSD) e Evandro Leitão (PDT).
Casos
A Secretaria de Saúde do Ceará (Sesa) diz que já foram confirmados 4.995 casos de dengue só este ano. Os 10 municípios com maior quantidade de casos são Icó, Tauá, Catarina, Tabuleiro do Norte, Baixio, Pacoti, Umari, Penaforte, Forquilha e Potengi.

Waldir Maranhão determina anulação do processo de impeachment da presidente Dilma Rousseff

Brasília- DF- Brasil- 09/06/2015- Sessão extraordinária para discussão e votações de diversos projetos. Dep. Waldir Maranhão (PP-MA). Foto: Gustavo Lima/ Câmara dos Deputados

Reviravolta no processo de impeachment da presidente Dilma Rousseff. Com o afastamento do presidente Eduardo Cunha do comando da Câmara dos Deputados, o presidente interino da Casa, Waldir Maranhão (PP-MA), tomou uma decisão polêmica nesta segunda-feira, dia 9 de maio. Anulou a tramitação do impeachment da presidente Dilma no Congresso. A decisão deve ser publicada no Diário da Câmara Federal nesta terça-feira, dia 10 de maio.
No despacho, Waldir Maranhão analisa que motivo a votação realizada na Câmara dos Deputados ultrapassou os limites da denúncia oferecida contra Dilma por crime de responsabilidade. Os parlamentares envolveram discussões da Operação Lava Jato, o que não era objeto da apuração.

A decisão de Waldir Maranhão cai como uma “bomba” em Brasília. Na próxima quarta-feira, dia 11 de maio, está marcada a votação em plenário do relatório da Comissão Especial no Senado Federal, que determina o afastamento de Dilma Rousseff por até 180 dias da Presidência da República.

Comissão de Saúde da OAB Ceará faz vistoria no Gonzaguinha da Barra do Ceará

nsss
A Comissão da OAB visitou hoje o Gonzaguinha da Barra do Ceará. As vistorias em hospitais públicos vão até o dia 20 de junho.
Na emergência do Gonzaguinha são atendidas cerca de 150 pessoas diariamente. O prédio da unidade sofre com problemas de infiltrações. Hoje, membros da Comissão de Saúde da OAB constataram a situação. Choveu de manhã e até a entrada do hospital ficou alagada. O Gonzaguinha passou por reforma nas duas últimas administrações municipais, mas ambas ficaram inacabadas.
As visitas aos hospitais prosseguem até o dia 20 de junho quando a Comissão de Saúde da OAB Ceará agenda realização de uma audiência pública na Procuradoria Geral de Justiça.

A ideia é expor os problemas encontrados nas unidades ao Ministério Público Estadual.

A sujeira escondida debaixo do tapete de quem cobra o fim da corrupção

renan-santos-do-mbl-1462483857893_615x300
Chamou a atenção esta semana passada a descoberta que Renan Antônio Ferreira dos Santos, um dos três coordenadores nacionais do MBL (Movimento Brasil Livre), entidade civil criada em 2014 para combater a corrupção e lutar pelo impeachment da presidente Dilma Rousseff (PT), está envolvido em vários problemas na Justiça.

Renan Ferreira responde a 16 ações cíveis e mais 45 processos trabalhistas, incluindo os que estão em seu nome e o das empresas de que é sócio.
As acusações contra o coordenador do MBL incluem o fechamento fraudulento de empresas, dívidas fiscais, fraude contra credores, calote em pagamento de dívidas trabalhistas e ações de danos morais, num total de R$ 4 milhões e 900 mil.

Para completar, o MBL enfrenta ainda uma ação de despejo de sua sede nacional, localizada em um prédio na região central de São Paulo.

Propor o combate a corrupção sem resolver os próprios problemas com a Justiça é fácil. Um péssimo exemplo. Perde credibilidade e afasta os apoiadores.